domingo, 2 de abril de 2017

[mi256] : Koji Maruyama - isos



[EN] isos offers a collection of 7 simplistic, beautiful and sad piano pieces.
Haunting, contemplative and understandably. If you are a lover of Eric Satie, Philip Glass or perhaps even Sakamoto Ryuichi you will find this worth a listen.
This album is a testament to the fact that a truly wonderful song needs nothing else to make it special. Although not every song shines, every one of them has something unique about it. That makes this EP grand. Only one piano creates true emotion, and unique songs.
Definitely not a throw away item and please try not to shed a tear.
Artwork by Satoshi Takijiri.

[PT] isos é uma colecção de 7 peças de piano simples, bonitas e tristes.
Assombroso e contemplativo este álbum é um testamento e a prova que uma "canção" verdadeiramente maravilhosa não precisa de mais nada para torná-lo especial. Embora nem todos os temas brilhem, cada um deles tem algo de especial. Isso torna este EP grandioso. Apenas um piano cria verdadeira emoção e canções únicas.
Se são amantes de Eric Satie, Phillip Glass ou Ryuichi Sakamoto este disco é obrigatório. Definitivamente este é uma daqueles discos que não podem deixar de ouvir, e por favor, tenham ao lado uns klennex.
Artwork por Satoshi Takijiri.



Donwload from MiMi Records

ps - Volatile



[EN] An album by our staff member ps about volatile things and moments. Friendships, relationships, life, random situations. It's about the importance of finding yourself, knowing yourself, not losing track of what's important. Getting used to navigate through the acid burns that life flings at you, but also learning to understand others, learning to understand yourself. This album is meant to be listened at home alone at 3 AM. Considering other people don't appreciate loud sounds at 3 AM you might want to use headphones.

Tracks 1 and 2 feature instrument samples by Amir Baghiri and samples from the movie Still Alice. Track 3 features samples from the series Making a Murderer and the movies Reservoir Dogs, Drunken Master and Zero Theorem. Tracks 4, 5, 6, 7 and 8 feature spoken word passages read from the book The Vegetarian. Track 9 features samples from the movie Zero Theorem, Curtis Hoard Videogames, The Straight Road and from a random 80s educational video on Missile Guidance Systems. Tracks 10 and 11 features samples from the series Fargo. Track 11 features sample from the movie Deadpool. All other sounds in conjured by Filipe 'ps' Cruz using Jeskola Buzz. Mixed down using Reaper.

Cover artwork from a photo by Steve Corey.

[PT] Um album pelas mãos do nosso membro de staff ps sobre coisas e momentos voláteis. Amizades, relações, vidas, situações aleatórias. É sobre a importância de nos descobrirmos a nós próprios, de nos conhecermos, não perder de vista o que é realmente importante. Habituar-nos a navegar por entre as queimaduras de ácido que a vida nos atira, mas também aprender a compreender os outros e a nós próprios. Este album é para ser ouvido só em casa às 3 da manhã. Considerando que as outras pessoas não costumam apreciar que estejamos a fazer barulho a essa hora sugeria que usassem auscultadores.

Temas 1 e 2 contém samples de instrumentos de Amir Baghiri e samples do filme Still Alice. Tema 3 contém samples do documentário Making a Murderer e dos filmes Reservoir Dogs, Drunken Master e Zero Theorem. Temas 4, 5, 6, 7 e 8 tem passagens lidas do livro The Vegetarian. Tema 9 tem samples dos filmes Zero Theorem, Curtis Hoard Videogames, The Straight Road e dum video educacional dos anos 80 sobre sistemas de navegação dos misseis. Temas 10 e 11 tem samples da série Fargo. Tema 11 tem samples do filme Deadpool. Todos os outros sons foram conjurados por Filipe 'ps' Cruz usando Jeskola Buzz. Misturado usando o Reaper.

Grafismo de uma foto de Steve Corey.



Download from archive.scene.org
Download from archive.org
Download from scene.org
Download from sonicsquirrel.net
Play from jamendo.com
Play from bandcamp.com
Play from soundcloud.com
Play from freemusicarchive.org

segunda-feira, 27 de março de 2017

Marrach - Swing with a Black Dog



[EN] "Swing with a Black Dog" is the latest release of Lithuanian project Marrach, with some dark tones of Modern Jazz and Trip-Hop sounds. Track 3 uses sample from Abide with me.

[PT] "Swing with a Black Dog" é o trabalho mais recente do projecto Lituano Marrach, com temas sombrios de jazz moderno e sonoridades do trip-hop. Tema 3 usa sample de Abide with me.



Download from archive.scene.org
Download from archive.org
Download from scene.org
Download from sonicsquirrel.net
Play from jamendo.com
Play from bandcamp.com
Play from soundcloud.com
Play from freemusicarchive.org

segunda-feira, 20 de março de 2017

[mi255] : Luis Antero - Sound Places: Serra do Açor, Vol. 2



[EN] This is the second sound work dedicated to the Serra do Açor and some of its villages, being part of the ‘Sound Places/Lugares Sonoros’ series and produced based on field recordings in the villages of Gramaça, Pomares, Vale do Torno and Sorgaçosa, in the county of Oliveira do Hospital and Arganil, respectively.
As in the first volume, edited in the netlabel Plus Timbre, there is also in this work a search for acoustic elements that invite the creative listening of these mountain places. It is through them that the Serra do Açor is also known.

[PT] Este é o segundo trabalho sonoro dedicado à Serra do Açor e a algumas das suas aldeias, fazendo parte da série Sound Places/Lugares Sonoros e produzido com base em gravações sonoras de campo realizadas nas localidades de Gramaça, Pomares, Vale do Torno e Sorgaçosa, nos concelho de Oliveira do Hospital e Arganil, respectivamente.
Percorro este território serrano em busca de memórias sonoras, mas também do seu quotidiano acústico, do pulsar sonoro que existe, marcando encontro, sempre que possível, com as pessoas que habitam as aldeias da Serra do Açor. No caso deste trabalho, a Sorgaçosa serve este propósito, através dos relatos orais de duas habitantes da aldeia, ‘dos’ Santos e Elisete.
Tal como no primeiro volume, editado na netlabel Plus Timbre, existe neste trabalho também uma procura por elementos acústicos que convidam à escuta criativa destes lugares serranos. É através deles que também se dá a conhecer a Serra do Açor.



Download from MiMi Records

terça-feira, 14 de março de 2017

M-PeX - Carinae



[EN] In Carinae, M-PeX explores the conceptual symbiosis between the original sound of the portuguese guitar, to which is added the sound of André Coelho's contrabass, and the ambient electronic sound which is born out of an experimental and digital manipulation of sounds captured on the portuguese guitar for the acoustic themes. Photography by Carina Nunes and graphical artwork by Marco Madruga.

[PT] Em Carinae, M-PeX explora uma simbiose conceptual entre a sonoridade original da guitarra portuguesa, a que se junta o som do contrabaixo de André Coelho, e a música electrónica ambiental que nasce de um processo de experimentação e de manipulação digital do áudio da guitarra portuguesa originalmente gravado para os temas acústicos. Fotografia de Carina Nunes e grafismo de Marco Madruga.



Download from archive.scene.org
Download from archive.org
Download from scene.org
Download from sonicsquirrel.net
Play from jamendo.com
Play from bandcamp.com
Play from soundcloud.com
Play from freemusicarchive.org

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

[mi254] : We Turn in The Night Consumed By Fire - Fin



[EN] Black is the absence of colour, noise is the denial of silence, FIN is the vertigo of possibility when attention is driven by the abyss.
“We Turn in The Night Consumed By Fire” could be a commentary on modern life or just an image of past shamanic practices, deeply buried in our collective psyche. Fin inhabits the obscure, their sound resonates a soundtrack of modern nightmares blended with old fears.
It shows us that waking up can sometimes be worse than having the darkest of dreams. Do not turn the lights on. Do not cut off noise. Silence is death.!

[PT] O preto é a ausência de cor, o ruído é a negação de silêncio, FIN é a vertigem do que é possível quando o abismo comanda a atenção.
We Turn in The Night Consumed By Fire poderia ser um comentário sobre a vida moderna ou apenas uma imagem de práticas xamânicas passadas, enterradas profundamente na nossa psique coletiva.
Fin habita no que é obscuro, banda sonora de pesadelos modernos com medos antigos, mostrando-nos que acordar às vezes pode ser pior do que sonhar o mais negro de todos os sonhos.
Não acendas as luzes. Não desligues o ruído. O silêncio é a morte.



Download from MiMi Records